Trial version, Version d'essai, Versão de teste

Ambiente físico

From AHO

Jump to: navigation, search

O conteúdo em Portugês estará disponível em breve.

This analytical profile on the physical environment is structured as follows:

Contents

Resumo analítico - Ambiente físico

Os problemas de saúde pública causados por condições ambientais precárias são uma grande preocupação a nível mundial. De acordo com a Análise da Situação e Avaliação das Necessidades (SANA), cerca de um quarto da carga global de enfermidades é atribuída às condições ambientais precárias comuns em países em desenvolvimento, incluindo Moçambique.

Consumo de água insegura e níveis baixos de saneamento e higiene aumentam a transmissão de diarreia (incluindo cólera), tracoma e hepatites. O acesso a água potável tem melhorado no país ao longo dos anos, mas duma forma muito lenta e desigual. No global o acesso a fontes seguras de água para beber aumentou de 36% em 1990 para 47 em 2010, o que representa um crescimento de 23% em 20 anos. O único crescimento substancial e claro ocorreu no Sul urbano, onde o acesso já era relativamente bom. Assim, em 2008/09 verificamos que menos de um terço de todas as famílias no Centro rural e Norte rural têm acesso a fontes de água seguras. Uma vez mais, deparamos com grandes disparidades regionais tanto em níveis como em tendências de medidas de pobreza, em várias das suas dimensões. Nessas disparidades, a zona Centro do país, especialmente nas áreas rurais, parece estar cada vez mais atrasada em relação ao resto do país. (IOF 2008/2009)

Em Agosto de 2008, o Governo Moçambicano assinou a Declaração de Libreville sobre Saúde e Meio Ambiente em África junto com todas as nações africanas. Com esta assinatura, o Governo Moçambicano prometeu explorar a ligação entre a saúde e o meio ambiente, bem como a ligação entre os ministérios e as organizações com vista a criar sinergias para responder aos desafios de saúde ambiental.

Em Outubro de 2011, as entidades governamentais envolvidas em saúde ambiental participaram na preparação do relatório da Análise da Situação e Avaliação das Necessidades (SANA) seguindo as recomendações da Declaração de Libreville. Este é o primeiro passo no processo de preparação do Plano Nacional de Saúde e Meio ambiente para detalhar a implementação da Declaração de Libreville para Moçambique. A SANA contempla os riscos de saúde ambiental com o objectivo de criar a capacidade multissectorial a nível nacional para abordar a ligação entre a saúde e o meio ambiente.

Embora o conceito de “ saneamento” seja bastante amplo, nos Censos, este é usado para indicar a posse ou não de retrete ou latrina pelos agregados familiares. Os dados da figura 5 mostram que apenas 34.0 e 46.4% dos agregados familiares em 1997 e 2007 respectivamente, declarou ter retrete ou latrina. A situação é mais grave na área rural onde nos dois Censos a percentagem está abaixo dos 40% (figura 9).

Figura 9 Percentagem de agregados familiares.png

Figura 9: Percentagem de agregados familiares com posse de retrete ou latrina, 1997 e 2007


Doenças transmitidas por vectores

O ambiente urbano

Poluição atmosférica interior e energia doméstica

Água, saneamento básico e ecossistemas

Alterações climáticas

Substâncias tóxicas